Author Archives: FCCanela

Mostra Cultural de Canela: O MELHOR DO SÓ RINDO

The Best Off” é uma auto-sátira (se é que existe isso!) estreada em 2006, onde os bonequeiros resgatam e contam a história das principais personagens criadas e, consequentemente, revisitam suas próprias trajetórias. Zico, a primeira personagem criada por Nelson Haas, conversa sobre o descarte de coisas, pessoas e sentimentos. E você, 24 anos depois, ainda pode vê-lo em cena. O gaúcho “Oswaldir Carlos Serjão” é de papel machê. Mais antigo que o próprio grupo. Um espetáculo leve e poético. Para toda família curtir e se divertir! DATA: 22, 23, 24 e 25 de junho de 2017. HORÁRIO: 20h, 20h, 15, 11h, respectivamente. LOCAL: Vila Miná (Rua dos Pessegueiros, 67, na fruteira do Hilário), Santa Marta (em frente à igreja, Rua 1º de Janeiro), Parque do Lago e no Multipalco – Praça João Corrêa. DURAÇÃO: 50 min PÚBLICO ALVO: para todas as idades Autores: Nelson Haas e Beth Bado. Com Pedro Boca Rica, Javier Villafañe e São Francisco de Assis. Direção: Nelson Haas Confecção dos Bonecos: Tânia de Castro, Antônio Leopolski, Mestre Saúba, Nelson Haas, Beth Bado, Mario Palermo. Figurinos e Cenários: o grupo Técnica: Diversas Manipulação: Nelson Haas e Beth Bado

Read More

Mostra Cultural de Canela: O CORPO QUE FALA, SENTE E VÊ

A oficina será ministrada por três profissionais de Canela das áreas de movimento, interpretação e expressão corporal que vão dialogar através do corpo, propondo uma linguagem livre onde serão abordados temas sobre a vida, a morte, a dor e o amor.

NOME: “O CORPO QUE FALA, SENTE E VÊ” MINISTRANTES: Júlio Dias, Míriam Torres e Lígia Fagundes MEDIADORA: Lisiane Berti do Departamento de Artes Cênicas da FCC DATA: 23 de junho de 2017 HORÁRIO: 20h DURAÇÃO: 2 horas LOCAL: Teatro Casa de Pedra PÚBLICO ALVO: interessados em geral IDADE MÍNIMA: 14 anos INSCRIÇÕES: Fundação Cultural de Canela VAGAS: 20 CURRÍCULO DOS MINISTRANTES: Miriam Torres é maquiadora, atriz, palhaça, professora e diretora. Com 26 anos de carreira começou a estudar e atuar no Teatro Escola de Pelotas em 1991. Ainda em Pelotas, sua cidade natal, entrou para o grupo Tholl onde trabalhou durante 13 anos. Na Serra Gaúcha trabalhou com grupo Sala de Ensaio e grupo Ueba na cidade de Caxias do Sul. Na cidade de Canela trabalhou no espetáculo Paixão de Cristo, no espetáculo Simplesmente Natal e na CIA Goliardos. Em Gramado é professora de expressão corporal e teatro no Programa Pedro Henrique Benetti e já deu aulas de teatro no projeto Mais Educação. Já fez 4 anos de Natal Luz. Atualmente atua como atriz no grupo Casa do Bispo Atelier, faz parte do elenco do espetáculo Korvatunturi, é integrante da CIA di 4 e este ano fundou sua CIA Pé de Palhaço que já tem no currículo o monólogo A Noela Clown e a peça de teatro infantil A Corrida. Lígia Fagundes é graduanda em Dança na ULBRA. Fez diversos cursos e formações na área da dança com profissionais como Eva Chul, Anette Lubisco, Carla Vendramim, Carol Dalmolin, Will Freitas entre outros. É ex-integrante do Grupo Experimental de Dança de Porto Alegre. Atuou como atriz e bailarina nos eventos Natal Luz de Gramado em espetáculos como Fantástica Fábrica de Natal e Sonho de Natal de Canela no espetáculo Simplesmente Natal como bailarina. Em sua formação predomina a Dança Contemporânea e o Sapateado Americano. Também possui formação em Teatro e faz parte da Cia Lisi Berti de Teatro de Canela, onde está em cartaz com o espetáculo Xará Xaxá-Lendas do Povo de Cá há 05 anos e com o espetáculo Sonhos há 03 anos, ambos já estiveram em festivais internacionais de teatro fora do país, como Peru. Atua também como professora nos municípios de Gramado e Canoas, ministrando aulas de dança-educação. Além disso, está desenvolvendo uma pesquisa em Biomovimento, no Estúdio de Pesquisa Teatral Lisi Berti, que busca investigar o processo de transformação do ser humano a partir do movimento juntamente com a mente e suas emoções. Júlio Dias é ator e diretor, iniciou sua carreira artística em 1987 no grupo “Caras e Bocas” de Canela. Atuou em Porto Alegre com Cia Jhacinto Que deu Certo onde apresentava o espetáculo Risco e Paixão que ficou em cartaz um ano. Formado pela UCS no Curso Sequencial de Formação do Ator. Foi integrante de alguns grupos teatrais na cidade além de participar do Sonho de Natal de Canela, Natal Luz de Gramado, Festa da Colônia de Gramado. Oficineiro de Teatro no Projeto Sapeca em Gramado, atualmente trabalha como Palhaço Pipoca no Mundo a Vapor.

A Proposta da oficina: Júlio Dias vai propor uma colagem de textos com frases curtas de Millor Fernandes especificamente da obra “Liberdade, liberdade” para mostrar o corpo que fala que sente e que vê; Lígia Fagundes vai propor exercícios de aquecimento das articulações do corpo e conscientizações dos elementos estruturantes de Laban como movimento, espaço e tempo. Em seguida exercícios de percepção corporal, buscando explorar as emoções individuais e transformá-las em movimento. Míriam Torres vai propor na parte de Clown, exercícios que irão trabalhar o exagero na atuação e a expansão corporal, proporcionando aos participantes uma percepção diferente sobre seus movimentos diários.

Read More

Mostra Cultural de Canela: A CORRIDA

Na história da peça “A Corrida” Tarta (uma tartaruga que é apaixonada pela simplicidade, pela natureza e não se rende a tecnologia) e Max (uma lebre vaidosa, consumista e defensora da tecnologia) se conhecem enquanto estão vivendo suas vidas totalmente diferentes, como não conseguem convencer um ao outro que seu estilo de vida é o melhor, eles resolvem apostar uma corrida para fazer com que o seu oponente experimente suas incríveis realidades. A Corrida é uma peça infantil, baseada na Fábula da lebre e a tartaruga, esta adaptação traz a história para os tempos modernos querendo resgatar as relações humanas mais simples que estão sento esquecidas e substituídas pela tecnologia. Elenco: Fernanda Ghesla e Rafael Mello Criação: CIA Pé de Palhaço Figurinos: Míriam Torres Direção: Míriam Torres

Read More

Mostra Cultural de Canela: A ENCALHADA

A comédia “A Encalhada” traz ao palco a atriz e dramaturga Lisiane Berti (também autora das peças “Dona Gorda” e “Rainha do Lar”) como Maria do Amparo, uma professora solitária que sonha em encontrar o amor. Em busca da “tampa da panela”, da “metade da laranja”, ouvindo frases clichês, “O que é teu está guardado” e “O importante é que você tem saúde”, ela busca o “homem ideal”, se é que ele existe. Texto e Atuação: Lisiane Berti Cenário e Figurino: Dani Amaral Programação Visual: Charle Oliveira Iluminação: Carlos Eduardo Fernandes Trilha Sonora: Gustavo Freitas ESPETÁCULO GRATUITO

Read More

Mostra Cultural de Canela: A DAMA DO EVANGELHO

A trajetória de Maria Madalena contada de forma poética. A sagrada e profana. Uma mulher em um mundo de passos masculinos. Incompreendida, experimentou o invisível, o saber, o proibido e desejava compartilhar sua iluminação. Calejada e endemoniada, encontrou no Salvador seu reflexo. Junto dele, percorreu o caminho da cruz, permanecendo até o fim. Uma prostituta tornada santa. Uma das maiores representações femininas, com características ambíguas que ainda permeiam a compreensão da mulher: servil, pecadora, calada, obediente, quando ela era humana e justa. Madalena estava entre as primeiras a reconhecer um dom deslocado em tempo e espaço: O amor. Era preciso doar-se. Dar-se. DURAÇÃO: 65 min CLASSIFICAÇÃO: 16 anos Dramaturgia, Atuação e Direção de Produção: Elisa Lucas Direção Cênica: Paulo Martins Fontes e Deborah Finocchiaro Concepção, Direção de Teatro de Objetos e Cenografia: Paulo Martins Fontes Iluminação: Leandro Gass ESPETÁCULO GRATUITO

Read More

Mostra Cultural de Canela: O MAL ENTENDIDO

A premiada montagem gaúcha, com texto de Albert Camus e com direção de Daniel Colin, apresenta atmosfera sombria e visualmente impactante, trazendo ao público a tensão da busca de sentido e a incomunicabilidade que permeia as relações, convergindo numa imprevisível desgraça sobre uma humanidade descuidada e de valores em plena decadência. Apesar de o texto ter sido escrito há mais de 70 anos, a narrativa continua atualíssima, trazendo questionamentos sobre os comportamentos e funcionamentos das pessoas, como o que as move e  como elas reagem aos acontecimentos. O público é levado a uma espécie de catarse provocada pelas nuances de terror que dão o tom obscuro e envolvente da encenação. A peça ganhou Prêmio de Melhor Espetáculo do Festival Porto Alegre em Cena 2016, melhor atriz 2016 e Prêmios Açorianos de Teatro 2015 de melhor atriz, melhor atriz coadjuvante, iluminação e figurinos, além de suas 10 indicações. O elenco premiado e respeitado na cena teatral gaúcha e o espetáculo é aclamado pelo público e critica. DURAÇÃO: 60 min CLASSIFICAÇÃO: 16 anos Direção: Daniel Colin Dramaturgia: Albert Camus Tradução: Aline Sokolovsky e Caio Amon Elenco: Carla Cassapo, Elison Couto, Fernanda Petit, Gabriela Greco e Pedro Nambuco Criação e operação de luz: Carlos Azevedo Trilha sonora e operação de som: Beto Chedid Figurinos: Antônio Rabadan Cenário: Marco Fronckowiak e Rodrigo Souto Lopes Cabelos/ Maquiagem: Elison Couto Contra-regragem: Dener Augusto/ Gabriel Rocha Produção: Fernanda Petit Assistência de produção: Gabriel Rocha Fotos: Jorge Scherer e Adriana Marchior ESPETÁCULO GRATUITO – LUGARES LIMITADOS – PLATÉIA POR ORDEM DE CHEGADA

 

Read More

Os bonequeiros da serra Nelson Haas e Beth Bado levarão seus bonecos ao Uruguai

Foto: Charle Oliveira

A trupe do Só Rindo Bonecos da Montanha parte para Montevideu neste dia 10 para levar a brincadeira da serra ao Festival “El Yorugua”*, que acontece na capital do Uruguai de 12 a 20 deste mês de maio.

Representando o Brasil, o grupo se juntará à grupos do Chile, Argentina,   França, Colômbia, China e Venezuela para celebrarem a arte do Teatro de Bonecos em teatros, escolas e praças de Montevideu. 

Quem realiza o evento é o grupo La Loca Cia, que coloca à disposição o teatro que gerenciam no tradicional ponto turístico da cidade “Las Bóvedas”.

Para Haas, “estamos muito contentes de ir ao Festival,  há anos temos este desejo e agora com este convite ele será realizado.” Para a bonequeira Beth Bado “vamos a convite de um grupo reconhecido naquele país,  o que nos deixa felizes e é a primeira vez que nos apresentaremos em Montevideu “.

Por aqui na Serra o grupo volta a se apresentar em Junho, no Aroma Literário em Canela, pela programação do projeto 3×4, capitaneado pelo Depto de Artes Cenicas da Fundação Cultural de Canela.

*”Yorugua” é uma expressão utilizada no Uruguai para definir os nativos daquele país (igual a expressão “gaúcho”, para nós) 

Fonte Beth Bado- 54 99189.7927 

Read More